Prazer em pauta: o catalisador de uma nova realidade - BOX1824
PT EN
Prazer em pauta: o catalisador de uma nova realidade
Cartum feito em 2013 por Genildo Ronchi se tornou uma das imagens mais compartilhadas no mundo. Imagem: Genildo Ronchi/Divulgação

O desejo de viver momentos prazerosos após a pandemia está presente em mais de 91% dos brasileiros. O prazer será o catalisador da criação de uma nova realidade.

De alimentação a viagens, experiências únicas, gostosas e estimulantes estão entre as principais tendências de comportamento e consumo. As pessoas estão buscando experiências. Um bom exemplo é o Erotic Eating, que retrata a sede dos consumidores por ingredientes nichados, além da busca por experiências de compras sensoriais e eventos de alimentação comunitária centrados no toque e na indulgência.

O prazer será o catalisador da criação de uma nova realidade.
Cartum feito em 2013 por Genildo Ronchi se tornou uma das imagens mais compartilhadas no mundo. Imagem: Genildo Ronchi/Divulgação

A viagem romântica não é mais exclusiva para casais. Do escapismo do amor próprio a quartos de hotel para os eticamente não monogâmicos, as empresas de viagens e hospedagens devem inovar para acompanhar as mudanças de atitude em relação ao amor moderno.

“Assim como não é mais legal ou correto discutir sexualidade ou gênero como binários e fixos, também não é mais correto falar sobre romance em termos tão fixos, lineares e familiares”, disse o cofundador do The Future Laboratory, Martin Raymond. Sendo assim, as marcas devem recuperar a sexualidade em um cenário de consumo sex-positive.

Acendendo o fogo da revolução no mercado

O sexo não é mais um tabu, mas as marcas ainda têm um longo caminho para normalizar as discussões em torno do prazer, dialogando inclusiva e abertamente sobre sexualidade.

Criadora de uma startup com foco em desenvolvimento de cosméticos naturais para sexual care, Chiara Luzzati pretende ser a maior marca no segmento em cinco anos. Com investimento em produtos e na comunicação, e com discussões e textos apresentados por especialistas, a Lubs tem conquistado o coração e o corpinho de pessoas no Brasil inteiro.

Grandes varejistas como Amaro e Sephora já apostam em produtos sexuais fornecidos por pequenas marcas. Em outubro de 2021, foi a vez do Magalu abrir uma seção dedicada ao bem-estar sexual. “O isolamento social potencializou a busca por esse tipo de produto e acelerou a necessidade de digitalização desse varejo, oportunidade que damos a esses sellers no nosso marketplace”, afirma Mariana Castriota, gerente de marketplace do Magalu. “E, mesmo sendo um assunto ainda tabu, muitas mulheres têm se interessado mais pelo tema, usando esses itens não apenas para o erotismo, mas pensando também em saúde”. Em 2020, a venda global de produtos de bem-estar sexual cresceu 4% e movimentou mais de US$ 78 bilhões, de acordo com a Allied Market Research.

De acordo com a consultora KBV Research, esse mercado deve chegar a US$ 125 bilhões em 2026. A expectativa de crescimento é de 12% ao ano. Sextechs brasileiras como a Feel, Lilit e Pantynova chamam a atenção de investidores e são febre entre as novas gerações.

Marília Ponte, fundadora da Lilit, afirma que “quando nos permitimos sentir intensamente desejo e prazer, criamos uma nova medida para a vida. Percebemos o que podemos almejar. Não deixamos que o outro nos determine. Não escolhemos o convencional em detrimento do nosso senso de ser e sentir”. 

Surge um novo gigante no mercado: aproveite o wellness tourism

À medida que preocupações relacionadas a saúde aumentam, a busca por experiências saudáveis e de cura se expande. Você acorda de manhã no seu quarto de hotel com iluminação natural, participa de uma aula de ioga e aproveita um belo café com alimentos orgânicos. Há anos, grandes mudanças estão acontecendo no setor, mas, com o isolamento e a preocupação com a saúde, elas estão cada vez mais aceleradas e requisitadas.

Com um crescimento maior do que o do turismo convencional, a experiência do bem-estar atrelada a viagens está dominando o mercado, trazendo novas demandas e desenvolvendo soluções inovadoras.

Com aulas de ioga, meditação e culinária, a Pousada Ecohar Yoga está localizada em frente à badalada Praia de Maragogi e possui em seu cardápio apenas refeições vegetarianas e veganas. O estabelecimento aparece em diversas listas de recomendação de melhores lugares para descansar ou fazer um retiro espiritual.

Outras atividades como arte e cultura também estão modificando esse mercado. Com as pessoas procurando experiências cada vez mais transformadoras, destinos como Paraty são descritos como lugares ideais para fugir de aglomerações e participar de atividades culturais intensas.

Nesse caminho, surgiu o Terra Afefé, projeto artístico iniciado em 2018 pela artista visual Rose Afefé e localizado em Ibicoara, na Chapada Diamantina. Com três hectares de extensão, a microcidade conta com oito casas com vista para as montanhas, banheiros ecológicos, teatro municipal, biblioteca, mercearia, restaurante com gestão coletiva, pracinha central, ateliê e o Largo Cão Leonilson, homenagem a um visitante ilustre que passou por aquelas bandas.

Reprodução de imagem oficial do www.afefe.com.br
Reprodução de imagem oficial do www.afefe.com.br

“Aqui as pessoas são convidadas a experimentar o convívio tanto com a natureza e o entorno quanto com outras pessoas que passam pela terra, ativando a escuta e a cooperação. Além de exercitar a capacidade de autogestão, que leva em conta a descentralização de papéis, principalmente quando o assunto diz respeito ao ato de servir. Afefé tem um ideal utópico de sair de uma ideia poética para a prática, ainda que isso ocorra somente em breves momentos das experiências vivenciadas aqui”, compartilha o institucional da iniciativa.

Não há limites para o prazer

Mas não sejamos hedonistas. O prazer não é uma meta a ser alcançada, mas uma busca natural que vem sendo limitada há quase dois anos. A vontade de viver momentos prazerosos se intensifica pelo tão esperado fim da pandemia — onde o medo e a ansiedade se fizeram presentes quase todos os dias de nossas vidas.

Ficou claro que novos diálogos sobre o prazer transcendem a sexualidade para alcançar lugares como a saúde, o bem-estar, o amor, o turismo, a alimentação e até mesmo o trabalho. Iniciativas como a Love Is In The Cloud (plataforma de conexão e aproximação afetiva) são resultados da simbiose entre experiência offline e tecnologia; o tal esperado “frio na barriga”, a curiosidade, a vontade de conhecer um novo “alguém”, o sentir potencializado pela internet e a vontade das pessoas de se conectarem.

O Brasil é o quarto maior consumidor de cuidados pessoais do mundo. “Mais pessoas acreditam que a boa aparência é o resultado de se sentirem bem, o que explica um deslocamento para cuidados com a pele no lugar de maquiagem”, avalia Kenya Watson, analista da área de inteligência da consultora CB Insights, em matéria para a Forbes, sobre o futuro do mercado de cosméticos e tendências de consumo no setor.

O futuro do prazer já começou nas vitrines e no supermercado, no onboarding e na retomada do turismo.

Aplicativos da cura

Trânsito. Correria. Hora extra. Jornada dupla de trabalho. Cuidados com a casa. Estresse. Mais trânsito. Muito mais trabalho. Caos na saúde pública. Insegurança alimentar. Demissões em massa. Crise financeira. Mais de 600 mil mortos pela COVID-19. Corrupção. Desastre na gestão pública. Isolamento social.

É nesse cenário que aplicativos para práticas de saúde mental se tornaram protagonistas em lojas de apps. Com mais de 19 milhões de downloads e uma base de mais de três milhões de assinantes em 190 países, a ferramenta Calm está sendo indicada para crianças e adultos com a promessa de ajudar com dificuldades para dormir, alívio do estresse e aumento da concentração — coincidentemente ou não, todos os problemas que impactam a produtividade no trabalho.

Ela recebeu um aporte de US$ 88 milhões em fevereiro de 2021, o que a tornou a primeira startup de saúde mental a ser avaliada em mais de US$ 1 bilhão. Navegando em seu projeto de expansão, o aplicativo conta com versões em português, inglês, francês, alemão, espanhol, japonês e coreano. No Brasil, a versão paga custa R$ 17 e inclui aulas de meditação, histórias pra dormir e músicas — isso para não falar do famoso Daily Calm, uma meditação guiada de dez minutos.

A organização sem fins lucrativos Global Wellness Institute estima que a indústria de saúde e bem-estar tenha um valor de mais de US$ 4 trilhões (Infomoney). “A velocidade da vida moderna é algo realmente difícil de lidar, causa muito estresse e ansiedade. Cada vez mais as pessoas estão procurando uma maneira de amenizar esse sofrimento”, afirma Alex Tew, um dos fundadores da Calm.

Em uma pesquisa recente realizada pela Box 1824, descobrimos que o transtorno de ansiedade está em primeiro lugar no ranking de problemas de saúde crônicos enfrentados pelos brasileiros. Mas segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), antes da pandemia, o Brasil já tinha 19 milhões de brasileiros convivendo com ansiedade e depressão.